4.5.18

Psicologia, Comunicação e Pós-Verdade?

Psicologia, Comunicação e Pós-Verdade?
Pedrinho Guareschi*

7 de maio, 18h-21h, na Câmara Municipal de Caxias do Sul

O Doutor em Psicologia Social e Comunicação, Pedrinho Guareschi, estará no Legislativo Caxiense para a conferência: Psicologia, Comunicação e Pós-Verdade?

A Conferência será realizada às 19h no Plenário da Casa, com entrada franca.
Para quem quiser chegar às 18h, ele estará na Casa de Leitura para um bate-papo muito especial.


Pedrinho Guareschi é graduado em Filosofia, Teologia e Letras; pós-graduado em Sociologia; mestre e doutor em Psicologia Social; pós-doutor em Ciências Sociais em duas universidades (Wisconsin e Cambridge); pós-doutor em Mídia e Política na Università degli studi 'La Sapienza'; professor na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul); seus estudos, pesquisas e experiências focalizam a Psicologia Social com ênfase em mídia, ideologia, representações sociais, ética, comunicação e educação; conferencista internacional. 





11.4.18

Debate realizado dia 10/04/2018.


10/04/2018 
 
E hoje o Temática Debate recebeu novamente representantes de bairros para discutir a situação estrutural de algumas comunidades em Caxias.

Convidados:
Helena Martins - AMOB Centro
João Carlos Passos - AMOB Petrópolis
Osvaldino da Silva - AMOB Panazzolo

https://www.facebook.com/redetuaradio/photos/a.619318218109104.1073741849.478420008865593/2049627908411454/?type=3&theater

28.3.18

Um novo olhar sobre o Brasil

ENTRE VISTAS
Um novo olhar sobre o Brasil
Apresentação: Juca Kfouri
Convidado: Jessé Souza

Jessé Souza é doutor em sociologia pela Universidade de Heidelberg (Alemanha), professor de sociologia da UFABC e escritor. Já organizou e escreveu dezenas de livros, entre ele estão é autor de "A Tolice da Inteligência Brasileira" e "A Radiografia do Golpe". A última obra é A Elite do atraso, da escravidão à Lava Jato.

Vídeo no youtube:
https://www.youtube.com/watch?v=3zHdGqvLZl8

Vídeo no facebook:

15.3.18

Vereadora do PSOL Marielle Franco é morta a tiros no Rio | #MariellePresente #TodosPorMarielle

VEREADORA DO PSOL É ASSASSINADA APÓS DENUNCIAR POLICIAIS
https://www.brasil247.com/pt/247/rio247/346845/Vereadora-do-Psol-é-assassinada-após-denunciar-policiais.htm


MINUTO A MINUTO | ACOMPANHE AS REPERCUSSÕES DO ASSASSINATO DE MARIELLE FRANCO
Marielle e o motorista Anderson Gomes foram mortos a tiros na noite desta quarta-feira (14) no centro do Rio de Janeiro
https://www.brasildefato.com.br/2018/03/15/minuto-a-minuto-or-acompanhe-as-repercussoes-do-assassinato-de-marielle-franco/

14/03/2018
 
Há 3 dias a Vereadora Marielle Franco denunciou atrocidades cometidas por policiais militares contra moradores do Acari.
Hoje ela foi assassinada em pleno centro da cidade do Rio de Janeiro.
Exigimos investigação imediata daqueles que administram agora o Estado do Rio de Janeiro.







"Ser mulher negra é resistir e sobreviver o tempo todo", diz Marielle Franco
Para a vereadora, as mulheres precisam lembrar a todo tempo que estão em condição subalternizada, não só simbolicamente


Mídia Ninja
14/03/2018
Marielle Franco, PRESENTE!


Mídia Ninja
15/03/2018

Marielle Franco sinônimo de força, luta, igualdade nos foi levada em mais um crime - não um qualquer - ontem. Marielle Franco presente!
https://www.buzzfeed.com/manuelabarem/alguns-dos-tuites-sobre-a-vereadora-marielle-franco?utm_term=.bsanDdPYW#.eaOxd3mzn


Crime
Vereadora do PSOL Marielle Franco é morta a tiros no Rio
por Redação — publicado 14/03/2018 23h43, última modificação 15/03/2018 00h23
Ela foi a quinta vereadora mais votada do Rio nas eleições de 2016 e era uma referência para o movimento negro e feminista
Marielle Franco
Segundo a GloboNews, fontes da polícia afirmam que não foi um assalto
Quinta parlamentar mais votada no Rio nas eleições de 2016 e referência para o movimento negro e feminista, a vereadora carioca Marielle Franco, do PSOL, foi morta a tiros na noite desta quarta 14 na rua Joaquim Palhares, no centro do Rio de Janeiro.
Ela estava junto com o motorista Anderson Pedro Gomes. Ambos foram baleados e morreram no local. De acordo com a GloboNews, fontes na polícia teriam afirmado que o crime não se trata de um assalto.
Marielle recebeu mais de 46 mil votos nas eleições de 2016. Na Câmara dos Vereadores, presidia a Comissão da Mulher. Ela também assessorou o deputado Marcelo Freixo na coordenação da Comissão de Direitos Humanos da Alerj.
A vereadora era crítica à intervenção federal no Rio de Janeiro. Na terça-feira 13, ela denunciou um caso de homicídio. "Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?", escreveu em seu Twitter. 

Mais um homicídio de um jovem que pode estar entrando para a conta da PM. Matheus Melo estava saindo da igreja. Quantos mais vão precisar morrer para que essa guerra acabe?

Em nota, o PSOL não descarta a hipótese de crime político, "ou seja, de uma execução". "Marielle tinha acabado de denunciar a ação brutal e truculenta da PM na região do Irajá, na comunidade de Acari.", diz o partido.
"Além disso, as características do crime com um carro emparelhando com o veículo onde estava a vereadora, efetuando muitos disparos e fugindo em seguida reforçam essa possibilidade", afirma a nota. O partido exige ainda "apuração imediata e rigorosa desse crime hediondo."
Amanhã, às 11h, na Câmara dos Deputados, o partido realizará um ato em memória e solidariedade ao a Anderson Pedro Gomes e à vereadora.
Marielle foi entrevistada por CartaCapital após ser eleita. Criada e moradora do Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, ela defendeu uma revolução "feminista, classista e com o debate da negritude". Ela era uma apaixonada defensora da representatividade das mulheres nos espaços de decisão, "Não pode ter só homens brancos ricos, que nunca tiveram medo de saltar num ponto de ônibus escuro ou que nunca tenham sido assediados".
Entre suas prioridades como parlamentar, Franco destacou o combate ao déficit de creches na cidade. "É uma pauta que atinge mulheres negras e da favela". Mãe aos 17 anos, só conseguiu trabalhar e concluir os estudos porque conseguiu inscrever a filha em uma creche com ensino integral, mantida pela prefeitura à época.
Franco também defendia um olhar de gênero na questão do transporte público. "Esse é o local em que as mulheres são mais assediadas". Ela propunha que, na madrugada, seja possível descer fora dos pontos de ônibus, a fim de encurtar o trajeto feito nas ruas nestes horários. "Espero que todas as mulheres da Câmara, não só as feministas ou do campo progressista, venham garantir essa proposta concreta".  
https://www.cartacapital.com.br/sociedade/vereadora-do-psol-marielle-franco-e-morta-a-tiros-no-rio


CM8 Internacional - 15/03/2018
O assassinato de Mareille Franco, militante e vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, provocou grande emoção no Brasil e a convocação de protestos em todo o país. Ela foi emboscada quando seguia de carro pelo centro do Rio. Seu motorista também foi morto na ação criminosa. Ela se opunha à decisão de Temer de colocar as forças armadas para a segurança do Rio e denunciava o crescimento da violência policial nas favelas. (Le Figaro, França)
Especial: O ASSASSINATO DE MARIELLE FRANCO NO RIO

LE FIGARO, FRANÇA
O assassinato de Mareille Franco, militante e vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, provocou grande emoção no Brasil e a convocação de protestos em todo o país. Ela foi emboscada quando seguia de carro pelo centro do Rio. Seu motorista também foi morto na ação criminosa. Ela se opunha à decisão de Temer de colocar as forças armadas para a segurança do Rio e denunciava o crescimento da violência policial nas favelas.
http://www.lefigaro.fr/flash-actu/2018/03/15/97001-20180315FILWWW00046-bresil-assassinat-d-une-conseillere-municipale-de-rio.php

THE GUARDIAN, INGLATERRA
Marielle Franco, vereadora e uma crítica da polícia no Rio de Janeiro, foi morta a tiros em uma emboscada nas ruas da cidade. Franco era uma mulher negra que desafiou as expectativas da política da cidade e teve a quinta maior votação na Câmara dos Vereadores quando foi eleita em 2016. Ela era especialista em violência policial e no sábado acusou oficiais de serem excessivamente agressivos na busca de moradores das favelas controladas por traficantes
https://www.theguardian.com/world/2018/mar/15/marielle-franco-shot-dead-targeted-killing-rio

THE WASHINGTON POST, EUA
Vereadora do Rio de Janeiro e seu motorista foram assassinados no centro da cidade. Dois assassinos não identificados a emboscaram em uma rua no centro da quarta-feira, no Rio de Janeiro, a segunda maior cidade do Brasil, onde os militares foram encarregados da polícia há um mês após uma onda de violência. Franco era um especialista em violência policial e no sábado acusou os oficiais de serem excessivamente agressivos com os moradores de favelas controladas por traficantes.
https://www.washingtonpost.com/world/the_americas/city-council-member-driver-shot-to-death-in-downtown-rio/2018/03/14/57478034-27fa-11e8-a227-fd2b009466bc_story.html?utm_term=.39dd01381013

ESQUERDA.NET, PORTUGAL
Marielle Franco, vereadora no Rio de Janeiro pelo PSOL, foi assassinada na passada noite enquanto seguia em um automóvel. A vereadora tinha denunciado poucos dias antes a violência policial no estado carioca. Viajavam com ela, Anderson Pedro Gomes, motorista do veículo, e uma assessora da vereadora. Anderson encontrava-se na linha dos disparos, também foi baleado e acabou por falecer. O deputado estadual do PSOL Marcelo Freixo disse que o crime é "inadmissível". "A gente vai cobrar com rigor, todas as características são de execução.
https://www.esquerda.net/artigo/vereadora-marielle-franco-assassinada-no-rio-de-janeiro/53765

LA VANGUARDIA, ESPANHA
A vereadora do Partido Socialista e Liberdade (PSOL, oposição) Marielle Franco, crítica severa da intervenção do Exército na segurança do Rio de Janeiro, foi morta a tiros hoje no centro do Rio de Janeiro. Ela era conhecida ativista de direitos humanos e foi a quinta mais votada nas eleições de 2016 para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro. O ataque ocorreu um dia depois que o conselheiro criticou novamente a intervenção na segurança do Rio de Janeiro em uma mensagem nas redes sociais
http://www.lavanguardia.com/internacional/20180315/441537389159/asesinan-tiros-conocida-activista-critica-intervencion-ejercito-rio-de-janeiro.html

EL MERCÚRIO, CHILE
Assassinaram uma vereadora brasileira que se opôs à intervenção do Exército em Río.  Marielle Franco, uma conhecida ativista de direitos humanos, foi baleada enquanto viaja em seu veículo depois de ter participado de um ato político.
http://www.emol.com/noticias/Internacional/2018/03/15/898739/Asesinan-a-concejal-brasilena-que-se-oponia-a-intervencion-de-Ejercito-en-Rio.html

EL CLARÍN, ARGENTINA
Assassinato de vereadora de esquerda no Rio de Janeiro comove o Brasil. Marielle Franco foi assassinada a tiros quando regressava de um ato pelo empoderamento das mulheres negras.
https://www.clarin.com/mundo/asesinato-concejala-izquierda-conmociona-brasil_0_ryoWBFDtz.html

LA NACIÓN, ARGENTINA

Assassinaram com cinco balas a vereadora Mireille Franco do partido de esquerda PSOL no Rio de Janeiro. Muito ativa na luta pelos direitos humanos, Franco voltava para sua casa quando um carro se aproximou dela e atirou. Há duas semanas, havia assumido o papel de relatora da Comissão da Câmara dos Conselheiros do Rio criada para monitorar o desempenho dos topas encarregados da intervenção militar da área de segurança de Rio, decretada pelo presidente Michel Temer.
http://www.lanacion.com.ar/2117163-asesinaron-con-cinco-balazos-a-una-concejal-brasilena-en-rio-de-janeiro

BBC BRASIL, INGLATERRA
'É chocante', diz diretor da ONU sobre morte de vereadora no Rio. A morte da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL-RJ), alvejada na noite desta quarta-feira após sair de um debate com mulheres negras no centro do Rio de Janeiro, é "definitivamente chocante", mas infelizmente não chega a surpreender quem acompanha as estatísticas de violência do Estado. Quem afirma é o italiano Maurizio Giuliano, diretor do Centro de Informações da Organização das Nações Unidas para o Brasil, com sede no Rio de Janeiro.
http://www.bbc.com/portuguese/brasil-43413906

EL PAÍS BRASIL, ESPANHA
Marielle Franco, vereadora do PSOL, é assassinada no centro do Rio na saída de evento que reunia ativistas negras. Política e seu motorista foram mortos no Estácio, na região central do capital. Contrária à intervenção federal, a política havia criticado dias antes ação da PM em Acari
https://brasil.elpais.com/brasil/2018/03/15/politica/1521080376_531337.html

https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/CM8-Internacional/CM8-Internacional-15-03-2018/44/39596


15/03/2018 
URGENTE







5.3.18

Dia Internacional da Mulher

A invisibilização da mulher na história // Maria Lygia Quartim de Moraes


A socióloga Maria Lygia Quartim de Moraes discute a temática da invisibilização das mulheres na história e comenta como esse processo de apagamento além de prejudicar o acesso à produção feminina, tem o efeito de tolher a autoconsciência e autocompreensão das gerações presentes na medida em que produz um imaginário de figuras fortes, importantes e capazes quase que exclusivamente masculino.
Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=aT14cSBKd7Q Maria Lygia Quartim de Moraes assina o prefácio da edição brasileira de "Reivindicação dos direitos da mulher", clássico precursor do feminismo do século XVII. Saiba mais: https://www.boitempoeditorial.com.br/produto/reivindicacao-dos-direitos-da-mulher--554

...

As origens comunistas do 8 de março // Maria Lygia Quartim de Moraes


A socióloga Maria Lygia Quartim de Moraes apresenta as origens comunistas e socialistas do Dia Internacional da Mulher. Recuperando as condições históricas, políticas e econômicas do surgimento do movimento de massas das mulheres, ela comenta a importância de figuras como Clara Zetkin e Aleksandra Kollontai na criação do Dia Internacional da Mulher, e como ele serviu de estopim para desencadear a Revolução Russa. Refletindo sobre como a historiografia hegemônica buscou apagar e falsear o elo entre o feminismo e o socialismo nas origens do 8 de março, para produzir uma celebração mais domesticada e até comercializável do Dia Da Mulher, ela defende uma retomada radicalidade da data como um dia da luta. Este vídeo https://www.youtube.com/watch?time_continue=99&v=bL5ZiCA5qTk, é o segundo de uma série sobre feminismo e marxismo com Maria Lygia Quartim de Moraes na TV Boitempo.

...

A revolução das mulheres: antologia de feministas soviéticas // Maria Lygia Quartim


A socióloga Maria Lygia Quartim de Moraes fala sobre a nova antologia de feminismo soviético da Boitempo: A REVOLUÇÃO DAS MULHERES: EMANCIPAÇÃO FEMININA NA RÚSSIA SOVIÉTICA, organizada por Graziella Schneider (http://bit.ly/rev-mulheres).
Com textos inéditos de: Aleksandra M. Kollontai • Anna A. Kalmánovitch • Ariadna V. Tirkóva-Williams • Ekaterina D. Kuskova • Elena A. Kuvchínskaia • Inessa F. Armand • Konkórdia N. Samóilova • Liubov I. Guriévitch • Maria I. Pokróvskaia • Nadiéjda K. Krúpskaia • Olga A. Chapír Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=4mGt7U7-r8o

...

TV Boitempo

Inscreva-se no canal clicando aqui para receber nossos vídeos em primeira mão!

BAIRRO PANAZZOLO - MAPA

BAIRRO PANAZZOLO - MAPA